Publicidade

Pacotão do Brasileirão: Estatísticas 2011

Deivid e Willians - em dois quesitos - são destaques pelo Rubro-Negro, assim como o santista Neymar, o gremista Douglas e Marcelo Lomba, do Bahia
Após oito meses de bola rolando pelos gramados tupiniquins, o Corinthians conquistou o Campeonato Brasileiro 2011, ao empatar sem gols com o arquirrival Palmeiras, no Pacaembu. O Timão liderou 28 das 38 rodadas disputadas e levou a quinta taça do certame para a galeria de troféus do Parque São Jorge.

Desde a era dos pontos corridos, em 2003, esta foi a quarta temporada consecutiva que o campeão só foi conhecido no último jogo. Antes, São Paulo, Flamengo e Fluminense deixaram corações palpitantes até a jornada derradeira, prova do equilíbrio entre as equipes - e que torna o Brasileirão o campeonato mais difícil do mundo.

Se no campo deu Corinthians, nas estatísticas, o Flamengo foi insuperável em três quesitos, sendo que dois negativos. Contestado por parte da maior torcida do país, Deivid foi quem mais ficou na banheira no campeonato. Em 33 jogos, o centroavante foi pego em posição irregular em 30 oportunidades – uma média de quase um impedimento por partida. Já em número de faltas cometidas, ninguém ultrapassou Willians. Marcador nato, o cabeça de área traduziu sua virilidade em infrações. Foram 93 em 31 partidas.

Willians, no entanto, também tem motivos para comemorar. Pelo terceiro ano consecutivo, ele foi o "bom ladrão" do Brasileiro, com 131 roubadas de bola.
- Fico muito feliz com esta marca, que é fruto do meu trabalho. É a minha principal característica e procuro trabalhar forte para me manter como o maior ladrão de bolas do Brasil e ajudar o meu time – disse o volante.
Do caçador à caça. Neymar apanhou um bocado. Das 21 vezes que esteve em campo neste Brasileirão, sofreu 150 faltas e se tornou o jogador que mais bordoadas levou na competição. Mesmo o Santos terminando em décimo lugar na classificação, o craque da Vila Belmiro fez partidas memoráveis, como diante do Flamengo, na 12ª rodada, apesar da derrota do Peixe por 5 a 4, e conquistou o Troféu Armando Nogueira 2011.
- Eles (marcadores) fazem rodízio de faltas. A tendência é aumentar. Mas estou me preparando para isso, para as porradas e para todos os jogos – garantiu o atacante, que vai disputar o Mundial de Clubes, no Japão, e tentar o tricampeonato pelo Alvinegro Praiano.
Garantido na Série A em 2012 depois do empate por 1 a 1 diante do Santos, fora de casa, na penúltima rodada, o Bahia sofreu para permanecer na elite. O goleiro Marcelo Lomba contou com a confiança dos treinadores e fechou o gol do Esquadrão de Aço. O arqueiro, que jamais foi unanimidade no Flamengo, mudou de ares e não se arrependeu. Sua regularidade foi recompensada. Lomba terminou o campeonato como o camisa 1 com mais defesas difíceis, foram 80 no total, e se tornou ídolo da fanática torcida tricolor, que pediu sua permanência no Fazendão. Ele tem contrato até maio de 2012, porém pertence ao Fla.
- Foi um ano muito especial na minha vida porque passei por cima de obstáculos no início do ano (chegou a ser quarto goleiro no Flamengo) e consegui fazer um bom trabalho no Bahia. Divido os méritos com minha defesa, mas fico feliz com os números de defesas importantes que realizei - afirmou o arqueiro, que escolheu uma defesa contra o Palmeiras, na 17ª rodada, como a mais bonita que fez, no chute de Maikon Leite.
Durante os 380 jogos, foram marcados 1.017 gols - uma média de 2,68 por partida.

Os mandantes venceram 184 partidas, enquanto os visitantes somaram três pontos em 91 oportunidades, e 105 empates.

A partida com mais passes errados aconteceu logo na segunda rodada: foram 102 na derrota do rebaixado Avaí para o Atlético-MG por 3 a 1. O CARTOLAFCDICAS.COM traz estes e muito mais números da edição 2011 do Campeonato Brasileiro.

Confira :


header golaço (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)
Santos e Flamengo fizeram um jogo histórico na 12ª rodada do primeiro turno. O Peixe perdeu por 5 a 4, na Vila Belmiro, mas a arrancada de Neymar, que culminou com a bola no fundo da rede, valeu o ingresso e o título simbólico de gol mais bonito do Brasileirão 2011.

header defesa (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)
Botafogo e Vasco se enfrentaram pela 34ª rodada, no Engenhão. Aos 13 minutos do segundo tempo, após confusão na área do Alvinegro, o zagueiro Renato Silva finalizou e Jefferson, no reflexo, fez uma defesa espetacular, evitando o gol do Cruz-Maltino.

header sarrafo (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)
Na 35ª rodada, o Internacional bateu o Bahia por 1 a 0, no Beira Rio. No entanto, a vitória do Colorado foi ofuscada por uma entrada desleal de Bolívar sobre Dodô. O beque colorado deixou a sola sobre o lateral do Tricolor. O árbitro não marcou o pênalti claro a favor dos visitantes e nem expulsou o zagueiro do Inter.
header mico (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)




Rebaixado para a Série B, o Atlético-PR já dava sinais que a temporada seria desastrosa logo na segunda rodada. Contra o Grêmio, na Arena da Baixada, o Furacão saiu derrotado graças a uma lambança do zagueiro Rafael Santos, que ao tentar cortar, jogou contra a sua própria meta.

header drible (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)



O São Paulo goleou o Ceará por 4 a 0, na 24ª rodada. Um dos destaques da partida foi a revelação Lucas, que, com uma caneta desconcertante, deixou Boiadeiro, do Vozão, procurando a bola até agora.


header frango (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)

Campeão brasileiro, o Corinthians goleou o São Paulo por 5 a 0, na sexta rodada. Jorge Henrique arriscou de longe, mas Rogério Ceni vacilou feio, deixando a bola entrar, aos 37 minutos do segundo tempo. Quem também deu mole foi Muriel, do Inter, contra o Cruzeiro, na 15ª rodada. Após o cruzamento, o goleiro soltou na cabeça de Anselmo Ramon, que conferiu.
header erro (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)



O árbitro Paulo César Oliveira, na 35ª rodada, além de não ter marcado pênalti claro a favor do Bahia, após entrada de Bolívar, do Inter, sobre Dodô - e não ter expulsado o zagueiro colorado -, deixou de marcar um pênalti em lance de Leandro Damião. O volante Fabinho, do Tricolor baiano, tirou com a mão, dentro da área.

header mais perdido (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade