Publicidade

Scouts de Guarani 0 x 2 Santos

Olá Cartoleiros!

O CARTOLAFCDICAS.COM mostrou ao vivo os scouts de Guarani 0 x 2 Santos pelo segundo Campeonato Paulista 2012.



Valeu pelos três pontos. E só. É desta forma que o Santos deve enxergar a vitória por 2 a 0 sobre o Guarani, quebrando os 100% de aproveitamento do Bugre no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, nesta quarta-feira, em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. O sexto triunfo seguido do Peixe lhe ajudou a colar no líder Corinthians, já que dois pontos separam os times neste momento - o Timão enfrentará o Catanduvense, às 22h.

Sem Neymar, Ganso, Rafael, o uruguaio Fucile (convocados para suas respectivas seleções) e até Borges, desfalque de última hora com gripe, o Alvinegro dominou o jogo só por 15 minutos, abriu o placar com Ibson em bonita jogada e depois praticamente só assistiu ao domínio do Bugre. No fim, Arouca fez outro golaço para o Peixe e definiu o placar.

Aproveitando o espaço pelo lado direito da defesa santista, usando contra-ataques e bolas paradas, o Guarani só não complicou por incompetência nas finalizações. Derrotado, o Bugre permaneceu com 22 pontos e viu o Santos ultrapassá-lo na tabela.

O próximo jogo do Peixe é o clássico contra o Corinthians, domingo, na Vila Belmiro - a partida marca a reabertura do estádio santista, após reforma total do gramado. Rafael, Neymar e Ganso, que serviram à Seleção, voltam ao time. Já o Guarani pega o Bragantino, sábado, em Bragança.

Peixe sai na frente, mas Bugre pressiona

Os 15 minutos iniciais da partida no Estádio Brinco de Ouro inverteram os papéis. Pelo futebol apresentado por Guarani e Santos no começo da etapa inicial, parecia que o visitante estava em casa, dada a tranquilidade com que o Alvinegro tocava a bola.

Aproveitando a posse de bola superior, o Santos brecou o ímpeto do Bugre, empurrado pela sua torcida, e abriu o placar aos cinco minutos. Em bela jogada, Juan cruzou da esquerda para Dimba. O atacante pensou rápido e ajeitou de peito para Ibson. Chegando de trás, o meia fuzilou o goleiro Emerson, sem chances.

Até os 15 minutos, a única ameaça do time do interior ao gol do Peixe aconteceu por um susto do goleiro Aranha, revelado na Ponte Preta. O camisa 1, que provocou o antigo arquirrival durante a semana, falhou em cruzamento de Fumagalli e quase entregou.

Àquela altura, Juan já havia criado outra boa chance, em finalização perigosa de fora da área, que obrigou Emerson a dar rebote.

Dos 15 minutos em diante, o time da casa cresceu e assumiu a postura de mandante. Com contra-ataques e jogadas criadas principalmente pelo lado direito da defesa santista, setor do jovem Crystian, saíram os maiores perigos.

Camisa 10, Fumagalli articulava as melhores jogadas do Bugre, com o auxílio do rápido atacante Fabinho. De cabeça e de fora da área, o meia ameaçou o Santos, enquanto Fabinho teve a melhor chance do time do interior na primeira etapa, desperdiçada com um cabeceio para fora.

Ainda houve tempo para mais uma falha de Aranha, que passou da linha da bola em chute de fora da área do volante Wellington Monteiro, mas se recuperou.

Jogo cai, Bugre pressiona, mas Santos mata

Se o primeiro tempo começou movimentado, na etapa final aconteceu exatamente o contrário. Sonolentas, as duas equipes praticamente se arrastaram.

Com a substituição feita por Muricy ainda no fim do primeiro tempo, quando trocou Dimba por Felipe Anderson, o Peixe passou a jogar com Elano, Ibson e Felipe Anderson atrás de Alan Kardec, isolado à frente, o que diminuiu o poder ofensivo do time.

A primeira grande chance desperdiçada pelo Alvinegro saiu em falta cobrada por Elano na direita. O meia cruzou com perigo e Durval por pouco não alcançou a bola para marcar.

Em resposta, o Bugre só ameaçou em chute cruzado de Max Santos, atacante que substituiu Bruno Peres na etapa final.

Depois, Bruno Mendes tocou de cabeça para fora e perdeu uma das melhores chances da segunda etapa, com um Aranha já vendido no cruzamento de Fábio, pela direita.

O último suspiro do Bugre saiu em chute muito perigoso de Danilo Sacramento, que bateu de três dedos de fora da área.

No último lance da etapa final, Arouca fez barba, cabelo e bigode. O volante recebeu de Alan Kardec, levou a bola do meio de campo até a área adversária, driblou o goleiro Emerson e tocou de esquerda para o gol vazio, com a frieza de um autêntico centroavante.

Fonte : Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade