Publicidade

Scouts de Flamengo 2 x 0 Fluminense

Olá Cartoleiros!

O CARTOLAFCDICAS.COM mostrou ao vivo os Scouts de Flamengo 2 x 0 Fluminense pelo Campeonato Carioca 2012.



Ronaldinho precisou de 12 jogos para fazer um gol em clássico carioca. Neste domingo, enfim, desencantou em cobrança de pênalti. O camisa 10, no entanto, recebeu o seu primeiro cartão vermelho em um duelo regional – aos 39 da etapa inicial. Porém, mesmo com a oscilação do astro, o Flamengo resistiu à pressão do time misto do Fluminense e venceu por 2 a 0. Kleberson, que não atuava pelo Rubro-Negro desde novembro de 2010, fez o outro gol do clássico.

No centenário do Fla-Flu, o duelo deste domingo, o primeiro do ano, apresentou times desfigurados no Engenhão (pouco mais de 14.753 presentes), mas teve um grande personagem. O goleiro Paulo Victor brilhou e impediu a reação do Tricolor com mais de uma dezena de defesas arrojadas.

Após três rodadas na Taça Rio, o Flamengo pula para os seis pontos no Grupo A e está na quarta posição. O Macaé lidera com nove, e o Botafogo tem sete. Por sua vez, mesmo com apenas três pontos, o Fluminense está em terceiro na chave B – o Vasco lidera.

Neste meio de semana, os rivais se dedicam à Libertadores. O Fluminense recebe o venezuelano Zamora na quarta e no dia seguinte o Flamengo joga contra o paraguaio Olimpia. Os dois jogos serão no Engenhão.

Ronaldinho para o bem e para o mal

Sem jogar pelo Flamengo desde 20 de novembro de 2010, Kleberson foi a novidade na escalação inicial de Joel Santana. O treinador também deu a primeira chance a Thomás e poupou o lateral-esquerdo Junior César – Magal o substituiu. O técnico tinha nove desfalques: Felipe, Léo Moura, Welinton, Airton, Maldonado, Willians, Camacho, Bottinelli e Renato.

Poupando as estrelas Deco, Thiago Neves e Fred - além do jovem Wellington Nem - Abel apostou num meio-campo com três volantes - Valencia, Diguinho e Jean - e escolheu Wagner para ser o elo com a dupla de ataque Rafael Moura e Rafael Sobis.

O mistão tricolor começou melhor. Antes dos quatro minutos, o time incomodou Paulo Victor duas vezes. A principal em um chute de Souza dentro da grande área que o goleiro defendeu sem dar rebote. Começou ali o show solo do substituto de Felipe.

Os erros de passe do Flamengo se multiplicavam e impediam que a bola chegasse a Vagner Love. Até que Ronaldinho recuou e no primeiro bom passe encontrou Galhardo na área. Carleto deu o carrinho lateral, acertou a bola e o jogador adversário. O árbitro Eduardo Cordeiro assinalou pênalti. Ronaldinho, aos 20, cobrou rasteiro no canto direito e abriu o placar. Na comemoração, trenzinho com as mãos para o alto em direção à torcida rubro-negra e nenhuma represália às vaias que recebeu no jogo de quinta-feira contra o Emelec.

O Fluminense se desestruturou com o gol e tomou o segundo, aos 24. Magal cruzou da esquerda, Anderson cortou mal de cabeça, Kleberson dominou e chutou cruzado no lado direito de Diego Cavalieri.

- Fico feliz por isso. É fruto da confiança da comissão, da diretoria e da minha família – disse Kleberson, que correu para a torcida e vibrou freneticamente após o gol.


Paulo Victor segura o Fluminense

Em desvantagem, o Tricolor arriscou chutes de longe, mas com características que atrapalhavam: fracos ou sem direção. Aos 37, Souza quebrou a regra e obrigou Paulo Victor a saltar e espalmar a bola no ângulo esquerdo.

A tranquilidade do Flamengo terminou com a expulsão de Ronaldinho. O camisa 10 tinha cartão amarelo e pisou no tornozelo de Wagner, aos 39 minutos. Ele saiu dizendo que o árbitro “estava de sacanagem” e recebeu xingamentos dos torcedores tricolores.

A pressão tricolor aumentou, e Paulo Victor se destacou. Ele fez linda defesa aos 45. Souza entrou na área, bateu no canto direito e o goleiro se esticou para espalmar.

Flu pressiona em vão

O Flamengo voltou encolhido para o segundo tempo. A primeira chance do Flu aconteceu aos cinco minutos. Samuel, que entrou no lugar de Rafael Sobis, finalizou com a sola do pé na pequena área e Paulo Victor mergulhou para, de novo, salvar.

A pressão do Fluminense continuou, mas a zaga rival, comandada pelo chileno Marcos González, respondeu bem. O relógio correu e poucas chances foram criadas. O Flamengo tentou contragolpes com Diego Maurício e Love, que ficaram isolados no ataque. Por duas vezes, erros no último passe impediram o terceiro gol.

O Tricolor recorreu a finalizações de longe e bolas cruzadas na área, mas todos com o mesmo destino: as mãos de Paulo Victor. O goleiro, que parou chutes perigosos de Leandro Euzébio e Lanzini no fim da partida, foi ovacionado pela torcida rubro-negra e elogiado pelos jogadores rivais.

Fonte: Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade