Publicidade

Scouts de Palmeiras 2 x 1 Ponte Preta


Olá Pessoal!

O CARTOLAFCDICAS.COM, mostrou ao vivo os Scouts de Palmeiras 2 x 1 Ponte Preta, pelo Campeonato Paulista 2012.
Felipão surpreendeu todo mundo, escalou Daniel Carvalho no lugar de Ricardo Bueno e, na fria noite de sábado, o Palmeiras chegou à liderança do Campeonato Paulista com a vitória diante da Ponte Preta por 2 a 1, no Pacaembu. O Verdão aparece com 32 pontos, dois a mais que o segundo colocado Corinthians, que entra em campo neste domingo, contra o Comercial, com chance de retomar a ponta da tabela. O time alviverde é o único invicto no Paulistão. Foram nove vitórias e cinco empates. 

O Palmeiras começou arrasador e, em apenas 11 minutos, já abriu 2 a 0 de vantagem. Depois, porém, o Verdão pisou no freio e os quase 20 mil torcedores viram a Ponte diminuir na primeira etapa.

Depois do intervalo, Barcos cresceu em campo, mas quem assustou foi a Ponte. Os visitantes chegaram muito mais dentro da área, mas pecaram nas finalizações e não conseguiram empatar a partida.

O próximo compromisso do Palmeiras será pela Copa do Brasil, nesta quarta-feira, contra o Coururipe, de Alagoas. O Verdão venceu a partida de ida por 1 a 0. Já pelo Paulista, o time encara o Corinthians, no domingo, no Pacaembu.

A Ponte Preta também tem duelo pela Copa do Brasil na quarta. O time de Campinas encara o Sapucaiense-RS. No Paulista, no qual é sexta colocada, o confronto será o clássico contra o Guarani, sábado.

Início arrasador

Antes do apito do árbitro, Felipão surpreendeu a todos. Ele escalou Daniel Carvalho no lugar de Ricardo Bueno. Com isso, o setor de meio de campo do Palmeiras foi formado por Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor, Valdivia e o próprio Daniel Carvalho. Mas não deu nem tempo de a Ponte Preta se adaptar ao jogo do Verdão. Logo aos 3 minutos, a surpresa de Felipão surtiu efeito e, após troca de passes da dupla de meias, o camisa 83 deu passe açucarado para Juninho bater por cobertura e abrir o placar.

Com dois meias com característica de criação, Daniel Carvalho teve função dupla. Com a bola, ele encostava em Barcos. Sem ela, recompunha atrás para ajudar na marcação. Valdívia ficou responsável por organizar vindo de trás. A Ponte Preta foi a campo com formação semelhante, deixando o atacante Roger isolado no setor ofensivo.

Aos 10 minutos a Macaca teve chance de igualar o placar com uma bola alçada na área, mas que marcou foi o Verdão, e logo no lance seguinte. Como não poderia deixar de ser, Marcos Assunção cobrou falta de longe e ampliou o placar.

Para tentar diminuir a vantagem verde, a Ponte Preta deixou de lado o esquema do início. Renato Cajá e Enrico, que começaram mais recuados, adiantaram um pouco e se aproximaram de Roger. O Verdão, por outro lado, seguiu da mesma forma e ainda tirou um pouco o pé do acelerador. O time verde passou a trocar passes com mais tranquilidade, chegando, assim, menos vezes dentro da área. As outras oportunidades saíram após de chutes de fora da área, e Barcos ficou isolado, pouco participando das jogados ofensivas.

Por mais que tenha mudado a forma de jogar, a Macaca chegou pouco na primeira etapa. As jogadas de maior perigo eram sempre fruto de bola parada. Tanto que, aos 36 minutos, Ferron aproveitou bom cruzamento de João Paulo e diminuiu a vantagem. A defesa do Palmeiras ficou plantada e apenas assistiu o ponte-pretano testar firme para o fundo das redes.

Barcos cresce e Ponte responde

A segunda etapa começou com as mesmas formações, mas com mudanças de postura do Palmeiras. Barcos, que ficou isolado no primeiro tempo, teve mais espaço entre os zagueiros da Ponte Preta e apareceu mais. O grandalhão foi responsável por jogadas perigosas. A maioria delas em lances individuais.

Daniel Carvalho, que foi o melhor jogador em campo no primeiro tempo, sumiu na segunda etapa. Com menos mobilidade, ele ficou mais enfiado dentro da área, perto do centroavante Barcos. Ao mesmo tempo, Valdivia cresceu de rendimento e assustou. No mais, a postura verde seguiu a mesma.

Já a Ponte Preta começou novamente deixando Roger sozinho na frente. Poucas vezes com a bola nos pés, os meias da Macaca acionaram o centroavante em poucas oportunidades. Com isso, a esperança alvinegra eram as jogadas de contra-ataque. Mesmo assim, assustando pouco. Com o passar do segundo tempo e com as alterações de Gilson Kleina - Rodrigo Pimpão passou a formar dupla de ataque com Roger -, a equipe alvinegra tomou conta da partida.

A zaga do Palmeiras começou a ter dificuldades de segurar os ponte-pretanos, que pecaram nas conclusões e não conseguiram igualar o placar. Os palmeirenses também falharam muito dentro da área da Macaca. Com facilidade para chegar, mas dificuldade para fazer. Assim, os gols da partida foram os que aconteceram na primeira etapa, o Verdão venceu e chegou à liderança do Campeonato Paulista.


Fonte: Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade